Conheça o Musa: o alfabeto da era espacial

Estação Espacial
Imagem: www.pixabay.com

A primeira vez que ouvi falar do Hangul, o alfabeto coreano, foi em 1999. Fiquei encantado com o formato geométrico das letras, e também com a história de seu surgimento, que parece um conto de fadas: era uma vez um rei bom e justo que, preocupado com os súditos que eram analfabetos, resolveu criar uma alfabeto novo, simples e eficiente. Apesar de fabulosa, a história é real, e hoje o hangul é um dos símbolos da Coreia.

Quando o Hangul foi criado, no século XV, a língua coreana era escrita usando os caracteres chineses, e apenas uma pequena parte da população (a maioria homens) dominava a escrita. O Hangul acabou com isso, sendo rapidamente aprendido por todos os coreanos. 

O que me chama mais a atenção na história do surgimento do Hangul foi a coragem do rei Sejong em não temer a inovação, em não se conformar com um modo de escrever o seu idioma que dava claros indícios de não ser eficiente. 

E hoje? Se surgisse um alfabeto novo, que prometesse ser mais eficiente, nós teríamos coragem de abandonar o alfabeto romano e migrar para esse novo formato?

Bem, pois eis que já precisamos ir pensando na resposta a essa pergunta, pois um novo alfabeto surgiu, prometendo facilitar a vida não apenas de um país específico, mas de todo o planeta: o alfabeto Musa. Não esqueça de clicar no símbolo da engrenagem ( ⚙️ ), depois em "subtitles/CC" e por fim selecionar "portuguese (Brazil)" quando for rodar o vídeo aí embaixo:

O alfabeto Musa usa apenas 26 formas (shapes), sendo que as consoantes usam uma combinação de dois desses formatos para criar um novo caracter:

 

Musa Letters

É por isso que o Musa possui letras para todos os idiomas do mundo. E o melhor: você não precisa aprender todos os caracteres, apenas aqueles que são usados para representar os sons do seu idioma. E devido ao fato de que cada forma representa uma característica do som, as letras que possuem sons semelhantes também têm o formato semelhante. Simplesmente genial! 

Para entender melhor como funciona o alfabeto Musa, leia a página introdutória:

https://www.musa.bet/intro.htm

O link aí em cima está em inglês, e talvez você precise usar uma ferramenta para traduzir o texto, como o Google tradutor. Mas eu tenho uma boa notícia: há uma página no site do Musa que está totalmente em português:

https://www.musa.bet/pt

Caso você tenha gostado do que leu até aqui, você pode começar a tentar aprender o alfabeto com a ajuda desse vídeo:

Para facilitar a nossa vida, o webmaster criou uma página que funciona como um "índice", com links para diversos aspectos do alfabeto:

https://musa.bet/subjects.htm

Um link desse índice que você não pode deixar de visitar é o que explica como digitar as letras do alfabeto Musa no seu computador:

https://musa.bet/fonts.htm#keyboards

E se você se apaixonar pelo Musa e decidir que quer escrever grandes textos com ele, você pode comprar um teclado específico para isso:

https://www.maxkeyboard.com/max-falcon-20-rgb-x-musa-keyboard.html

Se não quiser comprar um teclado, há um aplicativo para celulares Android e iPhone (da Apple) chamado "Musa Keys", que pode ser de grande ajuda:

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.musa.keys

Já que eu falei em "comprar", isso me lembrou de avisar que o alfabeto Musa foi lançado sob uma licença de domínio público:

https://www.musa.bet/legal.htm

"Mas, peraí... por que você escreveu que o Musa é o alfabeto da era espacial, Alexandre?"

Ok, não vou terminar esta publicação sem explicar o título dela: o criador do Musa não se limitou a criar apenas o alfabeto, ele também criou um novo calendário, onde o marco inicial é a meia-noite UTC da manhã de 22 de dezembro de 1957 (2 horas e 49 minutos antes do solstício de inverno). Mas por que essa data foi a escolhida? Porque o Sputnik estava em órbita, representando o início da Era Espacial (lembremos que o Sputnik foi o primeiro satélite artificial criado pelo homem). Algo me diz que amantes do sci-fi vão adorar conhecer esse novo calendário (= 

Eu realmente vejo um grande potencial para o musa, especialmente para nós lusófonos, já que, convenhamos, a gramática da língua portuguesa não é uma das mais fáceis do mundo. Pense como o Musa democratizaria ainda mais a alfabetização em nosso país, da mesma forma como aconteceu há séculos atrás com o hangul, na Coreia. No Musa não existe "letras maiúsculas" ou "letras minúsculas", e a forma manual de escrevermos o texto é a mesma da forma impressa. 

Penso que a língua portuguesa não vai ser menos portuguesa só por causa da forma como a escrevemos. Vamos continuar falando como sempre falamos, apenas usando um alfabeto bem mais simples e eficiente do que o alfabeto romano.

Se nos acostumamos com diferentes tipos de moedas (cruzeiro, cruzado, real), diferentes reformas ortográficas, por que também não podemos nos acostumar com um novo alfabeto? 

Se você ficou entusiasmado com o Musa tanto quanto eu, por que não ajuda a divulgar esse novo alfabeto entre os seus amigos? Você pode compartilhar o link deste artigo ou a página do Musa no Facebook:

https://www.facebook.com/pg/MusaAlphabet/posts/